Liderança: sabendo quando parar

Não há praticamente uma pessoa que negaria o significado desse assunto. É algo importante para CxOs. É igualmente interessante para os empreendedores. Coaches e mentores apreciam o desafio. É relevante para todos nós, na verdade, pois por vezes lideramos e por vezes somos liderados. A dificuldade com a liderança é saber quanto é o suficiente. Como você decide quando é para exigir mais e quando ceder? Qual é a motivação eficaz? Quanta iniciativa independente deve esperar? O que fazer quando alguém está desmotivado? E como lidar com o seu próprio estresse no final do dia?

Em seu livro perspicaz “Challenging Coaching”, Blakey e Day apresentam uma matriz simples e elegante que descreve a relação entre o apoio e o desafio, duas habilidades que um grande líder vai afinando com o tempo e experiência. Aqui está aqui: De acordo com este modelo, evitar desafiar alguém enquanto fornece apoio excessivo (quadrante 1, alto apoio – baixo desafio) cria o que os autores chamam de um clube de conforto. Aqui temos uma zona de comodidade onde todos estão superficialmente satisfeitos, o conflito é evitado e zero progresso existe. Manter o desafio baixo e diminuir o apoio também não é bom (quadrante 2) – proporciona uma equipe apática, presa na inércia e lenta. Pode haver uma “paz” superficial, mas não há nenhum compromisso, nenhuma missão, nenhum movimento. Obviamente este não seria um ambiente saudável para criar ou alcançar resultados.

Vamos para o terceiro quadrante, baixo apoio – alto desafio, e nós temos uma imagem de um chefe assustadoramente exigente, distante, que não se importa com a moral ou sentimentos da equipe. O único objetivo aqui é ganho pessoal, seja um bônus, progressão na carreira ou a autoimagem. Há outra maneira de descrever um líder que adota esse estilo: emocionalmente disfuncional. O único resultado possível aqui a longo prazo é stress, esgotamento, alta rotatividade, contas médicas pesadas, absenteísmo e uma falta geral de confiança dentro da equipe.

Agora o nosso último quadrante, alto apoio – alto desafio. Aqui é onde você e eu devemos estar, onde um líder pode ser exigente e até mesmo insistente mas ainda produzir resultados impressionantes. O segredo está na sua “conta bancária emocional” com o seu pessoal. Isso ocorre através do alto apoio nos momentos mais calmos, ligação pessoal, relações de confiança e respeito. A produção dispara, a rotatividade diminui, pessoas fazem mais do que foi pedido. Nessa base até uma tempestade pode ser superada. Eu voto neste estilo como o melhor para um líder!

Qual desses quadrantes descreve o seu estilo de liderança? Seja honesto, ninguém está olhando! Identifique onde você está, não onde você gostaria de star (isso é fácil!). E se você não está no quadrante certo o que você pode fazer para chegar lá, e depressa? Sua carreira, sua eficácia, seu nome podem depender disso, então não espere que as coisas aconteçam – tome a iniciativa hoje!

Que tal um compromisso de coaching para se tornar esse líder inspirador que você sempre quis ser? A liderança é essencial para cada um dos meus coachees. Os seus colegas, funcionários e superiores relatam melhorias impressionantes como resultado do coaching! Por que não experimentar por si mesmo?

Svitlana Samoylenko é psicóloga, palestrante, coach executiva e fundadora da IndwellTalents (www.indwell.com.br). Nascida na Ucrânia, morou na Inglaterra e nos EUA por 11 anos antes de vir para o Brasil, cinco anos atrás. Possui experiência internacional em coaching, treinamentos corporativos e avaliações executivas.